Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]

As lápides são formas de lembrarmos quem são as pessoas em túmulos e covas de cemitérios, trazendo informações como data de nascimento e de morte, além de um breve epitáfio. Por ser algo ligado ao universo fúnebre, parece improvável que alguém usasse para construir uma casa, certo? Errado! Na cidade de Petersburg, na Virgínia (EUA), a Casa das Lápides foi feita usando centenas desse inusitado material!


Ela foi erguida em 1934, após seu construtor, Oswald Young, adquirir restos de mais de 2 mil lápides pela módica quantia de US$ 45. O cemitério Poplar Grove, naquele ano, queria padronizar seus túmulos e economizar na manutenção, principalmente da grama. A solução foi modificar as lápides de mármore para que todas tivessem o mesmo tamanho e fossem colocadas deitadas para ocuparem mais espaço e, consequentemente, sobrasse menos grama para ser aparada.


Com isso, mais de 2 mil lápides foram removidas e recortadas, sobrando uma enorme quantidade de material que precisava ser descartado o quanto assim – por isso Young conseguiu comprar por uma pechincha. O cara usou para construir uma calçada, uma lareira e revestir o exterior de sua residência.

Origem das lápides

O mais bizarro é que as lápides pertenciam a soldados norte-americanos mortos durante a Guerra Civil, principalmente no chamado Cerco de Petersburg, entre 1864 e 1865. A maioria foi enterrada em covas rasas ou em valas comuns, mas, em 1866, resolveram juntar os corpos dos soldados, que estavam espalhados em diferentes locais, em um único cemitério – foi quando surgiu o Poplar Grove.


Durante anos após a padronização, o cemitério acabou sendo abandonado. Inundações danificaram as lápides horizontes até que descendentes de soldados enterrados por lá conseguiram que novas lápides voltassem a ser verticalizadas, em uma restauração que ocorreu entre 2014 e 2015. As lápides anteriores, danificadas, foram descartadas e enterradas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]