Full width home advertisement

Post Page Advertisement [Top]


É provável que você já tenha olhado para o céu em algum momento da sua vida e avistado um bando de pássaros voando em uma formação que mais se parecia com a letra V. Mas você já se perguntou o porquê desse “plano de voo”? Alguns cientistas já, e tudo indica que é por uma questão de sobrevivência. 

À primeira vista, você pode até pensar que é uma simples situação de hierarquia: existe um líder e todos o seguem. Mas a realidade é que a natureza é muito mais complexa que isso. De fato, a liderança é fundamental para que todo o grupo chegue ao seu destino em segurança, mas ela é passada de pássaro para pássaro durante as longas viagens do grupo. 

Machos ou fêmeas, jovens ou adultos, todos os pássaros têm a oportunidade de liderar o bando. Mais que uma oportunidade de mostrar sua capacidade, é uma missão que pode custar a vida de todos os outros. Além de guiar a rota, a ave encarregada da ponta do V guia também a batida de asas dos demais. E tudo é uma questão de eficiência aerodinâmica. 

De acordo com pesquisas realizadas pela Universidade de Londres, o voo em formação é responsável por uma significativa economia de energia nas aves. Os cientistas usaram 14 íbis-eremitas, espécie ameaçada de extinção, para estudar como eles se comportariam durante o percurso que ia da Áustria à Itália. Resultado? Cada um deles se posicionou naturalmente da melhor maneira possível para aproveitar o deslocamento de ar provocado pelo amigo à frente. 

Organização e eficiência

Cada ave foi equipada com um GPS e um acelerômetro para medir a velocidade e a frequência das batidas de suas asas, e os dados mostraram que o sincronismo do grupo é mais perfeito do que aparenta. O líder dita o ritmo, e os demais seguem na mesma batida, literalmente. Isso porque a distância e o bater de asas são milimetricamente calculados para que nenhuma corrente de ar seja desperdiçada. 


Segundo estudos, quando viajam em formação, os pássaros economizam cerca de 20% de energia em comparação com os voos solitários. E isso é muita energia, ainda mais quando consideramos aves de grande porte, como gansos, patos, pelicanos ou cegonhas, que viajam milhares de quilômetros todos os anos. Algumas espécies chegam a cruzar o mundo durante suas migrações, fazendo um “bate-volta” do norte da Europa ao sul da África, por exemplo.

Mas não foram apenas os pássaros que perceberam que a formação em V era eficiente. Os homens, apesar de não baterem asas, também passaram a utilizar a tática em aviões. Sabe aquelas cenas de filmes com caças de guerra posicionados como uma lança? Não é uma questão de estilo, é eficiência.


Mesmo com propulsão a jato, os aviões também se beneficiam das correntes de ar geradas para economizarem energia. No caso, combustível. E você sabe muito bem como combustível é importante e caro no nosso mundo, né? Entre os militares, a formação em V é um conceito aeronáutico básico utilizado tanto por caças quanto por bombardeiros e cargueiros que voam por longas distâncias. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]